Fale conosco pelo WhatsApp

Qual anestesia será feita?

Para responder tal questão, em primeiro lugar, é preciso saber qual a função da anestesia. Seu principal objetivo é abolir a dor. Porém, em muitas situações, também visa reduzir a consciência, provocar amnésia e até relaxamento muscular.

Quais são os tipos de anestesia?

Existem vários tipos de anestesias: sedação, geral, anestesia regional e anestesia local.

Sedação:  suprime a consciência e pode variar entre sedação leve, moderada e profunda.

Anestesia geral: suprime a dor e consciência, ou seja, o paciente dorme durante todo o procedimento.

Anestesia regional: interrompe a condução nervosa em determinada região do corpo, permitindo intervenções cirúrgicas, pois inibem a sensibilidade dessa área temporariamente.

  1. Bloqueio do Neuroeixo (raquianestesia/peridural)
  2. Periférica (bloqueios dos nervos de algum membro ou outras regiões)

Anestesia Local: permite intervenções menores ou mais localizadas, já que seu efeito é mais limitado.

Tanto os bloqueios como a anestesia local podem ser associados à sedação ou anestesia geral, permitindo um cuidado mais amplo e, muitas vezes mais satisfatório.

A decisão da modalidade anestésica depende de vários fatores.

Existem indicações absolutas, ou seja, há situações em que a indicação do tipo de anestesia a ser feita é precisa em determinado procedimento ou pela condição física do paciente. A retirada da vesícula biliar, por videolaparoscopia, deve ser abordada com anestesia geral. Já o bloqueio do neuroeixo, raquianestesia ou peridural, é contraindicado em pacientes com distúrbio de coagulação e/ou uso de  medicações que alterem a coagulação, mesmo em procedimentos que usualmente seriam feitos com esse tipo de anestesia.

Também existem indicações relativas em que o tipo de anestesia pode ser elaborado de diferentes formas. Pode-se optar por uma ou outra técnica, ou até mesmo, associar diferentes técnicas anestésicas a fim de um melhor resultado. Temos, como exemplo, a correção cirúrgica de varizes, que pode ser realizada através de raquianestesia com sedação, sedação com anestesia local ou anestesia geral.

O médico anestesiologista sempre deve levar em conta a segurança, o conforto e bem estar do paciente, além de proporcionar a facilitação da técnica cirúrgica ou intervenção diagnóstica.

A escolha da melhor técnica anestésica a ser empregada, naquele determinado paciente, pode ser discutida por toda a equipe médica, levando em conta diversos aspectos como: controle da dor (tanto durante quanto após o procedimento); momento da alta hospitalar, visando menor tempo de internação sem riscos; evitar eventos adversos; proporcionar conforto e preservar a autonomia e capacidade de decisão do paciente, enquanto não prejudique sua integridade física.

Dessa forma, a anestesia é realizada conforme três enfoques diferentes: o do anestesiologista e sua visão sobre a segurança e homeostasia (equilíbrio das diversas funções do corpo), o do profissional que está tratando aquele indivíduo, e o do paciente e suas necessidades.

Nesse processo de busca pela melhor anestesia para cada paciente, a avaliação pré-anestésica é fundamental. Essa consulta é útil para conhecer as condições clínicas do paciente, esclarecer suas dúvidas, minimizar suas preocupações e, muitas vezes, chegar a uma conclusão conjunta sobre a melhor abordagem.

 

Por Dra. Julia Fonzar Tannous

20/08/2019